Após prisão de árbitro de futebol, jovem denuncia estupro em Caxias do Sul

Após a prisão de um árbitro de futebol na terça-feira por seis estupros, uma jovem de 21 anos de Caxias do Sul procurou a Polícia Civil para denunciar que também foi vítima da violência sexual cometida por ele. O homem de 44 anos foi detido na terça-feira durante uma operação em Sapucaia do Sul. Outras três vítimas da cidade da Serra já haviam procurado a polícia em 2011.

Assim como as demais vítimas, a jovem foi atraída pelo homem com a promessa de emprego. O caso ocorreu em janeiro de 2017, mas só foi denunciado à polícia na terça-feira, após o caso ser divulgado pela mídia. 

Segundo a jovem, na ocasião, ela foi convidada pelo homem a auxiliar em marcações de jogos de futebol. Como estava desempregada, aceitou a oferta e marcou um encontro para o dia seguinte, onde tratariam sobre a vaga. Ao chegar no endereço, o homem trancou a porta e cometeu o abuso. 

A vítima ainda relatou que não procurou a polícia antes porque ninguém da família dela deu importância para o crime. 

Os abusos

O primeiro abuso sexual foi em Sobradinho, terra natal do homem, em 2003. Passados oito anos, as denúncias contra ele passaram a aparecer em Caxias do Sul, na serra gaúcha. Na cidade, foram três registros, todos em 2011: janeiro, junho e agosto.

Passados sete anos, mais dois casos foram denunciados, desta vez em Sapucaia do Sul. De acordo com as ocorrências, os dois abusos aconteceram no mesmo dia: em 23 de outubro de 2018, pela manhã e pela tarde, da mesma forma.

Absolvido por dois crimes

O homem foi absolvido por dois crimes ocorridos entre 21 de março e 8 de agosto de 2011 em Caxias do Sul, na Serra. Na época, três desembargadores do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ-RS) consideram que o processo apresentava "ausência de provas periciais" em relação a uma das vítimas e "dúvida inafastável" em relação à outra mulher.

Fonte: Pioneiro

Compartilhe!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se você encontrar algo de carater ofensivo, por favor denuncie.

Comentários (0)


Deixe um comentário