Policial

22/10/2018

Homem é detido por agressão a bebê de sete meses em Saldanha Marinho

Segundo a Brigada Militar, vizinhos fizeram denúncias contra o pai que chacoalhava e dava tapas nas costas da filha. Suspeito resistiu à prisão, mas foi encaminhado para a Penitenciária Modulada de Ijuí. Ele já possui antecedentes criminais por estupro de uma criança de 2 anos.

Homem possui antecedentes criminais por estupro. — Foto: Polícia Civil

Um bebê de sete meses foi agredido pelo pai na cidade de Saldanha Marinho, na Região Noroeste do Rio Grande do Sul, segundo a polícia.

A Brigada Militar chegou ao local após denúncias de vizinhos que observavam o pai, de 40 anos, chacoalhando a filha de cabeça para baixo, e desferindo tapas nas costas do bebê. Além disso, foi encontrada uma barra de ferro que o suspeito utilizava para ameaçar a criança.

Após ter resistido à prisão, o homem foi preso em flagrante e encaminhado para a Penitenciária Modulada de Ijuí, sob a acusação de tortura. O crime é inafiançável e a pena é de 2 a 8 anos de reclusão.

A criança foi encontrada em estado de choque, mas sem hematomas graves. Ela foi encaminhada ao Hospital Municipal de Saldanha Marinho, onde passou por exames e está em observação. Inicialmente, o bebê está sob a guarda da avó materna.

O suspeito já possui antecedentes criminais por estupro. O crime ocorreu em 2009, em Santa Bárbara do Sul. A vítima foi uma criança de 2 anos que era sua enteada.

Fonte: G1

Agricultor morre esmagado por trator no interior de Panambi

22/10/2018

Um agricultor morreu após o trator que dirigia virar e cair por cima dele enquanto trabalhava na lavoura por volta das 18h de sábado (20), no interior de Panambi, na Região Noroeste do Rio Grande do Sul.

Nelson Luersen, de 75 anos, foi encontrado sem vida pela filha. A vítima estava embaixo da máquina e presa nas ferragens. Um guincho foi utilizado para remover o trator de cima do corpo.

A filha do agricultor relatou à polícia que ele estava sozinho no momento do acidente.

Fonte: G1

Policial

22/10/2018

Polícia encontra corpo de criança e suspeita que seja de menina desaparecida

Familiares estão no local para fazer o reconhecimento

Brigada Militar e Polícia Civil estão no local e isolaram a área ¦ Foto: Alina Souza

Brigada Militar e Polícia Civil estão no local e isolaram a área ¦ Foto: Alina Souza

O corpo de uma criança foi encontrado em Alvorada, na região Metropolitana, na manhã desta segunda-feira. A suspeita é de que seja a menina sequestrada na noite de domingo, na zona Norte de Porto Alegre. Familiares da vítima estão no local e aguardam para fazer o reconhecimento.

O corpo está às margens do rio Gravataí, no limite entre Gravataí e Alvorada, e foi encontrado por um popular. Apenas um barranco separa o rio da ERS 118, que já apresenta lentidão no km 23. Devido ao movimento das polícias, muitos motoristas que circulam pela rodovia estão diminuindo a velocidade para verificar o que aconteceu, por isso o Comando Rodoviário da Brigada Militar está orientando o trânsito.

A menina está desaparecida desde as 20h45min de ontem, quando foi sequestrada. Ela brincava com o irmão em frente a sua casa no bairro Rubem Berta, em Porto Alegre. De acordo com a Brigada Militar, houve uma queda de luz na região, quando um veículo de cor vermelha passou no local. O motorista teria chamado a vítima e seu irmão, sequestrando a menina.

Segundo a mãe, que teria entrado na casa para verificar se a energia elétrica havia retornado, imagens de uma câmera de segurança flagraram o carro vermelho passando em frente à casa e depois fazendo o retorno para ir até onde as crianças brincavam. À reportagem do Correio do Povo, a mãe garantiu que não sofria ameaças.

Fonte: Correio do Povo

Policial

19/10/2018

Homem que falsificava documentos para negociar atletas da dupla Gre-Nal é descoberto pela polícia

Estudante de Direito de 33 anos se passava por conhecido empresário gaúcho no ramo do futebol e tentava negociar atletas como Leandro Damião, do Internacional, e Luan, do Grêmio. Polícia Civil encontrou documentos falsos na casa do suspeito.

Foram encontrados documentos falsos na casa do estudante de Direito — Foto: Polícia Civil

Um estudante de Direito, de 33 anos, foi descoberto pela Polícia Civil com documentos falsos de jogadores conhecidos da dupla Gre-Nal. Segundo a investigação, o suspeito, que não teve a identidade divulgada, tentava negociar a venda de jogadores como Leandro Damião, do Internacional, e Luan, do Grêmio, com diversos clubes do mundo.

A polícia pediu a prisão cautelar do estudante, que foi negada pela Justiça. “Agora estamos trabalhando para saber se o suspeito recebeu valores nas negociações, ou se clubes e pessoas tiveram prejuízos nas supostas transações”, diz o delegado Marco Guns. O homem foi conduzido à sede do DEIC para prestar depoimento.

Dois mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Porto Alegre. Os documentos falsos apreendidos com o suspeito, segundo a polícia, comprovam a conduta de estelionato praticada nos últimos meses.

Foram encontradas contratações de documentos bancários, da Justiça Estadual, da Receita Federal, da Confederação Brasileira de Futebol, do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense, autorizações de negociação e documentos pessoais falsificados dos atletas, entre outros.

O investigado teria tentado vender o atleta Luan, do Grêmio, ao clube inglês Everton, participando presencialmente de uma reunião no clube europeu. Já Leandro Damião, do Internacional, foi oferecido ao clube saudita Al Wehda Soccer Club.

A investigação começou com denúncias anônimas, inclusive por parte dos verdadeiros empresários dos atletas, e com a descoberta de um perfil falso no Whatsapp, onde o suspeito se passava por um renomado empresário gaúcho do futebol.

Vinicius Prates, empresário do jogador Leandro Damião, diz que foi procurado pelo suspeito. “Ele disse que tinha uma proposta pelo Bobsin, do Leicester, mas como eu conhecia o diretor do clube, eu sabia que era mentira. Como é normal no futebol, não dei bola”, relata.

“O problema foi quando um empresário europeu me procurou para falar sobre o Damião. Disse que tinha um cara de Porto Alegre que o procurou e disse que trabalhava comigo. Esse empresário me passou os documentos falsos, o contrato com o Al Wheda falsificado que ele apresentou em meu nome. A sorte é que fui procurado diretamente por esse empresário europeu”, conta.

Policiais apreenderam anotações na casa do suspeito — Foto: Polícia Civil

Fonte: G1

Política

19/10/2018

Datafolha: Bolsonaro lidera com 59% dos válidos e Haddad tem 41%

Na comparação com o levantamento anterior, o candidato do PSL ampliou de 16 para 18 pontos a vantagem sobre o petista

Candidato do PT teria a maior rejeição, com 54% contra 41% ¦ Foto: Evaristo Sá / AFP / CP

Candidato do PT teria a maior rejeição, com 54% contra 41% ¦ Foto: Evaristo Sá 

A pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira com as intenções de voto para a presidência da República mostra o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, com 59% dos votos válidos. Fernando Haddad (PT) soma 41%.

O resultado dos votos válidos considera apenas as intenções de voto direcionadas para um dos dois candidatos, sem contabilizar brancos, nulos e as menções de indecisos.

Na comparação com o levantamento divulgado na semana passada pelo instituto, ambos os candidatos oscilaram dentro da margem de erro de 2 pontos percentuais, mas Bolsonaro ampliou de 16 para 18 a vantagem sobre Haddad.

Com a presença dos votos brancos, nulos e indecisos, o candidato do PSL figura como o preferido para 50% dos eleitores e o petista foi citado por 35%. Brancos e nulos somam 10% e 5% disseram ainda não saber em quem votarão.

Contratada pelo jornal Folha de S.Paulo e pela TV Globo, a pesquisa ouviu 9.137 eleitores em 341 municípios nos dias 17 e 18 de outubro, tem margem de erro de 2 pontos percentuais e nível de confiança de 95%. O levantamento está registrado no TSE sob o número: BR-07528/2018.

Fonte: Correio do Povo

Policial

19/10/2018

Filho manteve idosa de 80 anos sem comida e em condições degradantes

Vítima resgatada em Viamão teria acionado Brigada Militar por falta de alimentos

Vítima resgatada em Viamão teria acionado Brigada Militar por falta de alimentos ¦ Foto: Fabiano do Amaral

Vítima resgatada em Viamão teria acionado Brigada Militar por falta de alimentos ¦ Foto: Fabiano do Amaral

O homem que manteve a mãe em cárcere privado, na quarta-feira em Viamão, deverá ser indiciado também por violência doméstica e maus-tratos. A informação foi dada pela delegada Jeiselaure Rocha de Souza, após apurar as condições em que era mantida a idosa, de 80 anos, numa casa sem janelas e, conforme a policial, sob condições degradantes.

"A vítima era mantida em situação sub-humana", enfatizou Jeiselaure. "O local era praticamente um bunker. Não tinha janelas e as coisas lá dentro estavam apodrecidas", detalhou a delegada em entrevista à Rádio Guaíba.

Além disso, em depoimento a mulher revelou estar passando fome. "Ela fez contato com a Brigada Militar por estar há dias sem alimentos", relatou Jeiselaure. "Estava com fome e emagreceu pois não havia mantimentos na casa. Além disso, colhemos relatos de fatos de violência doméstica e agressões verbais."

Conforme a idosa, o filho achava que estava sendo perseguido. "A abertura da casa foi bloqueada por tijolos", apontou a delegada. "A porta era blindada, de aço. Foi preciso abrir as paredes da casa", acrescentou. "Ele perdeu a guarda de um filho por um histórico de violência doméstica num relacionamento anterior. Por isso, tinha medo que alguém fosse furtar documentos que ele planejava usar para retomá-la", explicou.

"Era uma casa muito suja, a vítima relatou que não tinha condições de limpar, pela idade e fraqueza", comentou a policial. "Havia fezes de animais, alimentos podres em panelas", acrescentou a delegada Jeiselaure.

Fonte: Correio do Povo

Policiais

15/10/2018

Feriadão de Nossa Senhora Aparecida tem 13 mortes no trânsito no RS

Polícias rodoviárias atenderam 73 acidentes entre quinta-feira e domingo

Acidente na BR 158, em Boa Vista das Missões, matou quatro pessoas da mesma família ¦ Foto: Polícia Rodoviária Federal / Divulgação / CP

Acidente na BR 158, em Boa Vista das Missões, matou quatro pessoas da mesma família ¦ Foto: Polícia Rodoviária Federal

O Rio Grande do Sul teve mais um feriadão violento no trânsito. Entre quinta e domingo, 13 pessoas morreram em acidentes em rodovias federais e estaduais. O número é maior que o do feriado do 20 de Setembro – quando houve dez mortes – e menor que o feriado da Independência – quando 23 pessoas morreram no trânsito.

Segundo o Comando Rodoviário da Brigada Militar, nas estradas estaduais, foram registrados 28 acidentes. Ao todo, oito pessoas morreram e 22 ficaram feridas. O que chamou a atenção dos policiais foram dois acidentes que aconteceram na madrugada de sexta-feira, na ERS 324, em Casca, a apenas quatro quilômetros de diferença.

O primeiro acidente foi uma colisão frontal entre um Gol e um caminhão, que matou a passageira do carro. E o segundo foi atropelamento coletivo. Um Fiat Strada atingiu quatro pessoas, sendo que duas morreram.

Foto: Comando Rodoviário da Brigada Militar

Já a Polícia Rodoviária Federal (PRF) atendeu 45 acidentes em rodovias federais gaúchas. As colisões causaram a morte de cinco pessoas e deixaram 50 feridas. O acidente mais grave ocorreu na BR 158, em Boa Vista das Missões, onde quatro pessoas da mesma família morreram após um Jeep Renegade colidir contra uma árvore. As vítimas voltavam de um casamento.

Durante o feriadão, 3.062 multas foram aplicadas. Os policiais rodoviários fiscalizaram ainda 3.372 veículos, sendo que 99 foram recolhidos ao depósito por irregularidades em documentação ou equipamentos de segurança. Além disso, 81 motoristas tiveram suas CNHs recolhidas por motivos diversos como embriaguez ou estarem vencidas ou suspensas.

Fonte: Correio do Povo

Policiais

11/10/2018

Facção criminosa planejou matar juiz em Porto Alegre

Magistrado conduz processos que apuram homicídios cometidos por líderes de gangue

Juiz Felipe Keunecke de Oliveira conduz mais de 60 processos de homicídios envolvendo integrantes da organização criminosa Ronaldo Bernardi / Agencia RBS

Três advogados estão no centro de uma investigação envolvendo uma organização criminosa que atua no Estado. Inicialmente responsáveis pela defesa de líderes da facção Bala na Cara, eles passaram a ser considerados por autoridades como integrantes ativos do grupo, e se tornaram alvos da Operação Gângster.

Um dos advogados teria repassado à quadrilha informações pessoais e da rotina do juiz Felipe Keunecke de Oliveira, que conduz mais de 60 processos de homicídios envolvendo integrantes da organização criminosa. O plano seria matar o magistrado nas dependências de um clube social ou durante jogo na Arena do Grêmio.

Keunecke está sob proteção 24 horas e autorizou a divulgação de seu nome. Quando soube do plano, articulado com a ajuda de um advogado, desabafou:

— Sinto como deslealdade. Em todas as profissões, há maus profissionais. Esse é um mau e criminoso.

Os advogados teriam vazado nomes e endereços de testemunhas de processos para que sofressem coação, revelado a identidade de policiais que prestariam depoimento para que fossem ameaçados de morte e participado do leva e traz de informações sobre negócios do tráfico com bandidos presos ou foragidos e até planejado homicídios.

O principal advogado investigado, Anderson Figueira da Roza, é definido em denúncia do Ministério Público como “líder da célula jurídica de uma organização criminosa”. Além dele, foram investigados e denunciados por organização criminosa os advogados Anderson Rembowski e Anderson da Cruz. Por ordem judicial, os três foram afastados das funções e estão com os registros junto à OAB suspensos.

O grupo investigado na Operação Gângster é liderado por José Dalvani Nunes Rodrigues, o Minhoca, que hoje responde a pelo menos 68 processos por homicídios. Ele era o interessado em matar o juiz Keunecke, conforme a investigação. A irritação de Minhoca, registrada em conversas telefônicas com o advogado Roza, seria pelo fato de sua mulher estar sob risco de ser condenada.

Todos os denunciados – os três advogados e 11 integrantes da facção – já se tornaram réus.

Contraponto

O que diz Jean Severo, advogado de Anderson Roza

Ele diz que o cliente é inocente.

— Estão faltando diálogos que podem fazer complementação de que Anderson não teve participação.

Anderson Rembowski não quis se manifestar. Anderson da Cruz não foi encontrado.

A investigação

A denúncia da Operação Gângster é da Promotoria de Combate aos Crimes de Lavagem de Dinheiro e Organização Criminosa e foi assinada por sete promotores. O trabalho do MP teve como base investigações iniciadas em 2016 pela Delegacia de Capturas, do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), e que visavam a localização de Minhoca, que estava foragido. A Delegacia de Repressão aos Crimes de Lavagem de Dinheiro do Gabinete de Inteligência da Polícia Civil também atuou na investigação.

Fonte: Gaúcha ZH

Aplicativos


 Locutor Ao vivo


Adilena Jacoby

Super Tarde

Peça Sua Música

Name:
E-mail:
Seu Pedido:


Top 5

01.

Humberto e Ronaldo feat. Jerry Smith

Não Fala Não Pra Mim

02.

Gusttavo Lima

Zé da Recaída

03.

Henrique e Juliano

QUEM PEGOU, PEGOU

04.

Eduardo Costa

Olha Ela Aí

05.

Zé Neto e Cristiano

NOTIFICAÇÃO PREFERIDA

Anunciantes